quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

O amor exclui o medo

"No mistério da rosa se oculta o espírito da vida"

O perdão é a chave da felicidade.
Um Curso em Milagres

A consciência crística não é somente para os cristãos. 
A consciência crística, a consciência de Buda, a consciência de Krishna, a consciência de Deus – a consciência de todas as religiões é a mesma coisa.
Há cerca de 40 anos, uma mulher chamada Helen Schucman canalizou um conjunto de livros denominados Um Curso em Milagres. Os livros foram escritos por Jesus Cristo e canalizados telepaticamente até Helen, de forma muito smelhante àquela como os livros de Alice ª Bailey foram canalizados até ela pelo mestre Djwhal Khul.
 
Pode ser dito sinceramente que nos últimos anos, que esse livro teve sobre mim um efeito mais profundo do que qualquer outra coisa que estudei. Um Curso em Milagres é basicamente um conjunto de ensinamentos sobre cura pela atitude. A premissa básica desses livros é a existência de duas formas de pensar, de duas filosofias de vida, e somente duas. Toda pessoa deste mundo segue uma ou outra. Há a voz do Eu Superior, ou de Cristo, e há a voz do ego. Podemos também chamá-las vozes do Eu superior e do eu inferior; vozes do grande “Eu” e do pequeno “eu”; vozes do Eu Superior e do glamour, da ilusão, de maya; vozes do Espírito Divino e do ego negativo.

Quando criança, você é condicionado pela sociedade a perceber e interpretar a vida pelo ângulo negativo do ego. É por isso que tantas pessoas estão tão cheias de sentimentos negativos, revelando falta de paz interior. Um Curso em Milagres ensina uma forma bem sistemática de desfazer o pensamento negativo do ego, começando a pensar, daí em diante, com a mente crística. A Bíblia diz: “Que a mente de Cristo Jesus desça sobre vocês”. Jesus, como sabemos, foi um ser humano exatamente como você e eu, que se transformou na encarnação do Cristo ao se tornar um com a consciência crística.
A consciência crística não é somente para os cristãos. A consciência crística, a consciência de Buda, a consciência de Krishna, a consciência de Deus – a consciência de todas as religiões é a mesma coisa. Talvez você tenha absorvido grande quantidade de programação negativa durante sua formação religiosa, e é importante aqui não se deixar enredar pela semântica; todos os caminhos religiosos ou espirituais são excelentes. A nova religião do futuro é aquela que honra e reconhece todas as religiões e caminhos espirituais, pois todas conduzem ao mesmo lugar. A Introdução de Um Curso em Milagres afirma o seguinte:
“Este é um curso em milagres. É um curso obrigatório. Só é voluntário o momento em que decides faze-lo. Livre arbítrio não significa que podes estabelecer o currículo. Significa apenas que podes escolher o que queres aprender em determinado momento. O curso não tem por objetivo ensinar o significado do amor, pois isso está além do que pode ser ensinado. Ele objetiva, contudo, remover os bloqueios à consciência da presença do amor, que é a tua herança natural. O oposto do amor é o medo, mas o que tudo abrange não pode ter opostos.

Esse curso, portanto, pode ser resumido muito simplesmente dessa forma:
Nada real pode ser ameaçado.Nada irreal existe.
Nisso está a paz de Deus”.

Para a maioria das pessoas Um Curso em Milagres é um livro bastante difícil de se ler e compreender. Tenho plena consciência de que durante a minha caminhada espiritual um texto que explicasse e resumisse o Curso em linguagem simples teria sido de grande valia.

Diz a Introdução que um curso em milagres é um curso obrigatório. Isso não significa que todos necessariamente devem estudar esses livros, mas antes que todos devem aprender a pensar com sua mente crística ou divina. Disse Sai Baba que “Deus é igual ao homem menos o ego”.

É impossível passar pelas iniciações espirituais e conhecer a Deus sem transcender a mente mesquinha, divisora e medrosa do ego. O currículo está definido; e Um Curso em Milagres é só uma forma de aprender as lições.

O cerne de Um Curso em Milagres está na afirmação de que Deus o criou e que sua verdadeira identidade é o Cristo. Em outras palavras, todos são filhos e filhas de Deus, feitos à Imagem de Deus. Deus é amor, portanto, você é amor. Você não precisa tornar-se amor; amor é aquilo que você já é agora. Só a programação e condicionamento negativos do ego escondem essa percepção de você. É apenas a lama que cobre o diamante. Jesus chegou a dizer que “Tudo o que eu posso fazer, vocês também podem fazer,e ainda mais”.

A igreja cristã interpretou equivocadamente a mensagem de Jesus. Sem dúvida Jesus era o filho de Deus, mas você também o é. Ou poderíamos dizer que você é Buda, o Atmã hindu, o Eu Eterno. No Antigo Testamento, os profetas judeus disseram: “Vós sois deuses e não o sabeis”.

É por isso que a introdução do Curso diz: “Nada real pode ser ameaçado. Nada irreal existe. Nisso está a paz de Deus”. Sua verdadeira identidade como Cristo, Buda, Atmã ou Eu eterno não pode ser alterada. Pois foi assim que Deus o criou. Você pode pensar que é algo diferente disso, mas esse ato não muda a realidade. Você é o Cristo, o Buda, o Atmã, o Eu Eterno, quer creia nisso quer não.

Você não tem escolha quanto a isso pelo simples fato de não ter criado a si mesmo. Deus o criou. O caminho espiritual nada tem a ver com atingir um lugar qualquer. Trata-se somente de um redespertar para aquilo que você é. O segundo passo é a pratica do verdadeiro Eu na vida cotidiana.

Amor Incondicional x Amor Condicional, Deus quer que você pratique sempre o amor incondicional. A razão disso é que cada pessoa, na verdade, é o Cristo, ainda que seus pensamentos, sentimento e comportamento não estejam demonstrando isso. Jesus disse, no Novo Testamento, que é preciso “amar os inimigos”. Essa é uma das verdadeiras provas e iniciações do caminho espiritual. Ser mais maduro que os outros, praticar a percepção inocente e o perdão é uma lição que você precisa aprender, pois aquilo que você dá é também aquilo que recebe de volta. Se você deseja Deus, deve dar o próprio Deus, caso contrario, não o conhecerá.

Todos são Deus; entretanto, nem todos realizam Deus nos pensamentos, sentimentos e ações. A Terra é uma escola em que se deve praticar a realização de Deus na vida diária. Grande parte do caminho espiritual consiste em pequenas coisas tais como a forma de tratar o próximo. O amor condicional impõe alguma condição às pessoas, condição que elas devem satisfazer para merecer o seu amor. O ego lhe diz que agindo assim, você magoa os outros e ajuda a si mesmo. Mas, na verdade, você está magoando ao mesmo tempo os outros e a si mesmo.

Um dos princípios básicos de Um Curso em Milagres é o abandono dos pensamentos agressivos. Você está sempre ou amando ou agredindo; não existem pensamentos neutros. Quando você revela um amor condicional, está inconscientemente agredindo, e a outra pessoa, num nível energético, sofre essa agressão. É como uma flecha que lhe perfura a aura. Se ela é fraca ou age como vitima, essa agressão pode atingi-la de maneira bastante adversa, pois você deve lembrar sempre que todas as mentes estão interligadas. Seus pensamentos não estão contidos no seu corpo físico, como por trás de uma cerca. Na realidade, é bem o oposto. No momento em que você pensa em outra pessoa, seja de modo positivo ou negativo, esse pensamento ou sentimento atinge o campo energético dela.
O amor condicional também o isola de Deus. Você não está separado realmente. Está separado, assim, apenas dentro de seu próprio estado de consciência. A forma como você responder determina se você percebe ou não percebe a presença de Deus naquele momento. Se você comete um erro, pode parar para pensar, contemplar a pepita da sabedoria, aprender a lição, perdoar e fazer nova opção.

Ao permanecer atento e concentrado, com o tempo, você começará a desenvolver o hábito de amar incondicionalmente. Em toda situação de vida, você pode fazer a seguinte pergunta a si mesmo: “Será que eu quero a expressão de meu Eu Superior ou o meu ego nessa situação?”. Se você fizer sinceramente a si mesmo essa pergunta, achará impossível escolher o ego. A prática conduz à perfeição!

Existem Somente Duas Emoções.
O Curso ensina que existem somente duas emoções – amor e medo. Todas as outras emoções se reduzem a esse cerne básico. O medo provém do ego, o amor provém do Eu Superior.

O Curso ensina que a agressão é um apelo ao amor. Você precisa enxergar além e através da agressão, percebendo que a pessoa que agride, na verdade, vive no medo. O medo é uma indicação de falta de amor, de falta de auto-estima, de falta de permissão para o mergulho na experiência do amor de Deus. 

O amor perfeito exclui o medo.
Se o medo existe,
então não há amor perfeito.
Mas:
Só o amor perfeito existe.
Se há medo,
ele produz um estado que não existe.
Acredita nisso e tu serás livre. 
O Curso em Milagres

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Caminho




A vida é uma dança
louca e desenfreada,
um mar turvo
de ondas quebradas.


Por mais que pensemos
encontrar uma estrada,
após uma curva,
o que nos espera é um penhasco,
fim da caminhada.


Somente aqueles que enfrentam a escuridão
e se jogam nesse abismo de vazio e nada,
descobrem por fim que possuíam asas




Autor: Douglas A. Remonatto

Coração




"Em cada coração há uma 
janela para outros corações.
Eles não estão separados, 
como dois corpos.
Mas, assim como duas lâmpadas 
que não estão juntas,

Sua luz se une num só feixe."



(Jalaluddin Rumi)

Caído



Aprender para obedecer
não é educação,
é adestramento.
Viver sob a sombra nefasta de regras servis,
temendo sempre o látego do castigo
não pode ser o propósito da criação.
Não fomos criados para exibir bom comportamento
mas para ultrapassar as fronteiras do possível e contribuir para o drama da existência com algo mais que nossa simples presença,
cinzenta e fantasmagórica,
como figurantes que não atrapalharam em nada mas que também não fizeram falta alguma.
E o medo não tem que ser o fiel da balança
senão o amor e o entendimento.
Meu espírito, por desígnio divino,
leva uma chama que arde por liberdade,
que não aceita a submissão por pura conveniência,
mas que ousa ir além do que está estabelecido.
Se o Criador quis-me assim,
se me deu Asas e ímpeto de voar,
não seria por esperar mais de mim
do que a simples mansidão e recato?
Talvez me quisesse
para ter rival no teatro da vida
talvez me prepare como seu sucessor
tanto faz, não importa.
Só sei que aqueles
que ganham a rebeldia em seus corações
não lhes cabe nenhum papel medíocre.
E por amor,
não por castigo
agora aceito minha reclusão naquela prisão de carne, pelos e ossos
porque sei que ali está o lugar da batalha que devo enfrentar
e também a ponte
que um dia pode levar-me de volta ao Céu
quando tiver completado o que vim construir.

Autoria: Roger Alves

Eu só peço a Deus


Eu só peço a Deus
Que a dor não me seja indiferente
Que a morte não me encontre um dia 
Solitário sem ter feito o q'eu queria 
Eu só peço a Deus
Que a dor não me seja indiferente
Que a morte não me encontre um dia 
Solitário sem ter feito o que eu queria

Eu só peço a Deus
Que a injustiça não me seja indiferente
Pois não posso dar a outra face 
Se já fui machucada brutalmente 
Eu só peço a Deus
Que a guerra não me seja indiferente
É um monstro grande e pisa forte 
Toda fome e inocência dessa gente

Eu só peço a Deus
Que a mentira não me seja indiferente
Se um só traidor tem mais poder que um povo 
Que este povo não esqueça facilmente

Eu só peço a Deus
Que o futuro não me seja indiferente
Sem ter que fugir desenganando 
Pra viver uma cultura diferente


Oração de Mahatma Ghandi
Intepretada por Mercedes Sosa e Beth Carvalho

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

Ciclos da Vida

  

A - CICLOS:

É o processo, em etapas, do desenvolvimento natural da vida onde a um crescimento sempre corresponderá uma mudança de nível, que por si só, estabelecerá uma crise e a necessidade de uma mudança de atitudes.
 
Quando o ciclo vital de um indivíduo se interrompe ou se desloca, há o aparecimento do sintoma. O sintoma é um sinal de inabilidade do indivíduo e de seu sistema em superar uma etapa do ciclo vital.
 
Anteriormente a Psicologia Clínica era voltada para o mundo interno e na medida em que foi descoberta a importância do contexto e a sua influência nas relações humanas, os ciclos passaram a ser percebidos como expressões de interpelações que cumprem propósitos comuns a um sistema.
 
Os ciclos são padrões arquetípicos simples e estruturais que fornecem as tendências gerais no desenvolvimento das qualidades humanas e de seu potencial. O significado dos ciclos é auxiliar para compreensão de nossas ações e reações.
 
O ciclo de vida vai favorecer ou desfavorecer. Então, quanto mais no tempo de vida fizermos as escolhas pertinentes ao ciclo, maior a nossa chance de realização. É ter a vida trabalhando a nosso favor.
 
Ciclos vitais:
  
Ciclo astral - de 7 em 7 anos, que faz correspondência conjugal
Ciclo espiritual - de 10 em 10 anos
Ciclo biológico - de 12 em 12 anos
 
Os ciclos abaixo se alternam a cada 7 anos (selênio) e o processo de crescimento poderá ser acelerado ou retardado.
 
Características do ciclos:
 
1. De 0 a 07 anos - palavra-chave : respirar. Formação do corpo físico. Vivência com família, escola e colegas. Demarcação de limites para a criança.
 
2. De 07 a 14 anos - palavra-chave : possuir. Formação do corpo emocional. Depende do aprendizado anterior. Inserida ainda na escola e família, a criança adquire amigos. Formação do próprio ritmo na construção da personalidade e no controle do corpo físico. Responsabilidade é compartilhada com os pais. Forma-se o corpo astral.
 
3. De 14 a 21 anos - palavra-chave : conhecer. Formação do corpo mental. Aprendizado do controle emocional. Começa a procura de integração, uma vez que o jovem não se sente completo. Responsabilidade pessoal, embora em momentos ainda dividida com os pais.
 
4. De 21 a 28 anos - palavra-chave : estabelecer. Formação do corpo mental abstrato.
 
Este ciclo pode favorecer :
a) consolidação da vida e preenchimento de expectativas;
b) período de instabilidade e rebelião contra a família e exigências sociais.
c) Início da relação entre Corpo e Alma.
 
5. De 28 a 35 anos - palavra-chave : desapegar. Ponto de transição. Ciclo basicamente ligado aos anteriores. Os acontecimentos deste ciclo podem se tornar um padrão na vida da pessoa. O indivíduo volta-se para um potencial maior, criativo, ou cai em repetições.
 
6. De 35 a 42 anos - palavra-chave : progredir. Ponto de abertura. Tanto aqui o indivíduo pode se cristalizar, quanto evoluir, dependendo da abertura de sua alma.
 
- A partir dos 35 anos, cada ano de vida se relacionará com anos já vividos e com experiências tidas.
 
7. De 42 a 49 anos - palavra-chave : relacionar. Ponto de revisão de valores e da própria vida. O indivíduo se acomoda ou muda radicalmente.
 
8. De 49 a 56 anos - palavra-chave : renovar. Ponto de decisão. Pode trazer a cristalização mental que bloqueará o poder de mudar a própria vida.
 
9. De 56 a 63 anos - palavra-chave : compreender. Período de análise. Caracterizado pela falta de regra fixa pelo infinito de variedades vividas, dependendo também do corpo físico, das forças vitais e da situação mental. O que determinará o encaminhamento da vida é a experiência.
 
10.De 63 a 70 anos - palavra-chave: alcançar. Período de síntese. Dá a chance de profundidade no conhecimento, quer da própria vida, quer do carma.
 
B) OS CICLOS E AS CASAS ASTROLÓGICAS:
 
1º ciclo : Casa 1 (Áries) - Individualidade. Nasce o corpo físico.
2º ciclo : Casa 2 (Touro) - Valores, posses, dinheiro e recursos. A criança aprende a se alimentar.
3º ciclo : Casa 3 (Gêmeos) - Comunicação. A criança já se comunica melhor. É tagarela e curiosa.
4º ciclo : Casa 4 (Câncer) - Raízes : relações com família de maneira pessoal. Criança entende quem é quem na família.
5º ciclo : Casa 5 (Leão) - A criança se torna o "reizinho" e adquire coordenadora motora.
6º ciclo : Casa 6 (Virgem)- Trabalho e saúde. A criança aprende a cuidar da própria saúde (dentes, corpo, alimentação) e gosta de executar pequenas tarefas.
7º ciclo :casa 7 (Libra)- Relação com o outro. A criança lida com escola e reconhece pessoas que são da família e as que não são. Dá-se a primeira descoberta do sexo oposto (primórdio da relação amorosa).
8º ciclo :Casa 8 (Escorpião)- Casa dos valores, sexualidade, morte. É quando a criança começa viver medos de perder pessoas e coisas que gosta. Também vive receios ligados à sua própria vida e morte, sua sobrevivência e de sua família.
9º ciclo : Casa 9 (Sagitário)- Casa das idéias , dos porquês e para quês da existência. A criança introduz em sua vida o respeito ético.
10º ciclo : Casa 10 (Capricórnio)- Casa do sucesso social e profissional.Dá-se a primeira formatura, o "vestibular" para um novo colégio. Já locomove-se socialmente.
11º ciclo : casa 11 (Aquário)- Casa das amizades. É quando efetivamente a criança escolhe amigos para durarem por quase toda a sua vida. Elege amigo confidente e tentará manter esta relação de forma duradoura.
12º ciclo : casa 12 (Peixes) - Síntese. A criança faz um encerramento, retira-se para o seu quarto, fala pouco, faz o primeiro balanço da vida. Se viveu as etapas anteriores de forma harmônica passará suavemente por esta fase. Caso contrário, empacará onde não transpôs o aprendizado. Época das repetições escolares.
- Aos 12 anos há um fechamento e recomeço da mandala e há uma revivência das 12 etapas durante 7 anos (ou no máximo 10 anos).
- Aos 63 anos o indivíduo deixará de ser cultural e retornará a ser natureza. -
Aos 70 anos, a pessoa deverá ter comando sobre sua vida, que será religada à natureza e não terá mais projetos sociais. Reconecta-se com a natureza e se prepara para a ela voltar. Se o indivíduo não "caminhou" bem pelos ciclos, pode desesperar-se e caducar. A pessoa fica velha, caduca, ao invés de antigo e sábio.
 
C) A idade ligada aos planetas:
 
Lua - de 0 aos 7 anos = infância, formação da personalidade
Mercúrio - de 7 aos 14 anos = curiosidade e aprendizagem
Vênus - de 14 aos 21 anos = amor e vaidade
Sol - de 21 aos 42 anos = realização, definição na vida e crises
Marte - de 42 aos 49 anos = psiquê, energia, agressividade
Júpiter - de 49 aos 56 anos = recompensa, fartura, tranqüilidade
Saturno - de 56 aos 63 anos = seriedade, respeito, profundidade
Lua - de 63 anos em diante = a lua traz e leva. Todo velho tem um pouco de criança.
 
Bibliografia:
- Howard Sasportas : As doze casas

Texto: Jaqueline Cássia de Oliveira
 

Quem segue o blog: